Arquivos com as tags‘Empatia’

21/10/2014 | Jose Almeida | Tempo de leitura: 3 min. e 30 seg.

Não se assuste, que não acordei com instintos assassinos.

Confesso que tive a inspiração para este tema de um comentário que surgiu no Facebook, quando publicámos o artigo da semana passada.

O artigo chamava-se “Os seus clientes adormecem?” e focava o tema das apresentações.

O que é certo é que uma das pessoas que habitualmente nos seguem pelo Facebook colocou o seguinte comentário:

“Alguns já morreram…”

Já agora, se ainda não nos segue no Facebook, é uma boa altura para lá dar um salto e se tornar nosso fã.

Existem algumas iniciativas que só estão disponíveis através desta nova forma de comunicação.

http://www.facebook.com/pages/Ideias-e-Desafios/94782346093?ref=search

Já agora, se lá for, pressione o botão que diz “Torna-te Fã” e a partir daí poderá seguir-nos facilmente através deste meio.

A nossa comunidade no Facebook é também uma boa forma de promover contactos a diversos níveis, que poderão no futuro vir a gerar diversas oportunidades de negócio.

Ok, mas voltando ao nosso tema.

Ao pensar no comentário que nos deixaram, pensei:

“Qual seria o expoente máximo da empatia ou, como lhe costumamos chamar, Rapport?”

E (...Ler Mais...)

14/11/2013 | Jose Almeida | Tempo de leitura: 1 min. e 51 seg.

Uma das ferramentas mais importantes na arte de conversar é o simples acto de fazer uma pausa antes de responder.

Uma pausa curta, de 3 a 5 segundos.

Quando fazemos esta pausa atingimos três objectivos em simultâneo.

Fazer uma pausa

Evitamos correr o risco de interromper a outra pessoa caso ela esteja somente a recuperar a respiração antes de continuar.

Mostramos à outra pessoa que lhe estamos a dar a devida atenção analisando as suas palavras e não saltando imediatamente para a conversa com comentários à mais pequena oportunidade.

O terceiro benefício que uma pausa nos traz é que de facto somos forçados a ouvir melhor a outra pessoa. As palavras que utilizam e o seu significado têm maior oportunidade de entrar na nossa mente e de as compreendermos.

Ao fazermos uma pausa, estamos a demonstrar que de facto somos excelentes conversadores.

Colocar Questões

Uma das outras ferramentas na arte de conversar é a arte de colocar questões de clarificação.

Nunca assumam que perceberam à primeira a outra pessoa. Em vez disso, coloquem questões do género:

“O que é que (...Ler Mais...)

13/09/2013 | Jose Almeida | Tempo de leitura: 2 min. e 51 seg.

Hoje falamos sobre comunicação, influência e empatia. Nomeadamente sobre aquilo que habitualmente designo por: O síndrome do marido e da mulher!

Diga-me uma coisa: A sua cara-metade ouve-o?

Pois!

Provavelmente a sua equipa também não.

Não se preocupe que não vamos aqui falar de aparelhos auditivos.

Se bem que muitas das empresas necessitassem, de facto, de os colocar nos seus vendedores para ver se eles ouviam melhor os seus clientes.

Queríamos aqui chamar-lhe a atenção para um problema que ocorre nas empresas e que tem a ver com a saturação da comunicação.

Ou seja, se pensar, lá em casa, a sua mulher ou o seu marido, conforme o caso, tem alguma dificuldade em o ouvir.

Ainda há pouco tempo passei por essa experiência na minha família.

Temos vindo a discutir uma mudança numa área pessoal para a minha mulher.

Tenho tentado aconselhá-la o melhor que posso, mas noto que por vezes os conselhos entram por uma orelha e saem pela outra.

Conhecem esse fenómeno?

Pois…

No outro dia foi lá a casa um amigo meu, que também está na área (...Ler Mais...)

06/09/2013 | Jose Almeida | Tempo de leitura: 1 min. e 59 seg.

Uma das regras de ouro da Bíblia é: “Faz aos outros o que queres que te façam a ti”.

“Mas o que é que isto tem a ver com vendas?”, estarão vocês a pensar.

Esperem um pouco que já vão perceber.

Gostaria que pensassem comigo. Sendo uma regra universal, será que também funciona a nível das Vendas?

Vamos lá analisar.

Se eu for vender aos outros da mesma forma como gosto que me vendam a mim, o que é que acontecerá?

Bem, no meu caso específico, quando compro algo, gosto de ver o produto, analisar todas as informações disponíveis, tomar uma decisão, e, quando vou à loja, muitas das vezes já vou com a decisão mais do que tomada.

Quando estou a escolher algo, necessito normalmente de ver o que estou a comprar.

Gosto que o vendedor seja directo e não perca muito tempo com pormenores.

Agora imaginem que o vendedor que está do outro lado é completamente o oposto.

Gosta de comprar devagar, experimentando o produto várias vezes até se decidir, pedindo toda a informação disponível na loja.

Gosta (...Ler Mais...)

23/07/2013 | Anabela Conde | Tempo de leitura: 3 min. e 4 seg.

Ter mais sucesso é uma escolha ao alcance de qualquer um… mas é preciso querer pagar o preço!
Podemos percorrer o percurso que outros idealizam ou ditam, ou podemos ser nós a traçar o caminho, a liderar a acção e a ser exemplo para tantos outros.
Qual é a sua escolha?
Já pensou até que ponto é que está disposto a superar-se?

Auto-estima

Sonhar continua a ser grátis… e é tão bom! A questão é que hoje, com todo este “ruído” à nossa volta, parece que quando o fazemos, a sociedade, os amigos e até a família nos olham de lado, como se nos esquecêssemos do país em que estamos ou não víssemos televisão.

É que se não sonharmos, não progredimos…

Não há problema nenhum em definirmos novas metas. Aliás, se não tivéssemos definido as últimas seguramente que não teríamos chegado onde chegámos…

Complicado é quando não visionamos mais além, ou quando simplesmente definimos as metas, mas depois não fazemos mais nada para chegar perto delas…

Já pensou quantas vezes na nossa vida pessoal e profissional é que nos ficamos (...Ler Mais...)

17/04/2012 | Maria Vieira | Tempo de leitura: 3 min. e 25 seg.

Pois, por vezes parece que para além de cotonetes necessita de uma bela lavagem aos ouvidos… Em condições mais stressantes, muitas vezes a equipa fica mais dispersa, menos focada e menos concentrada no que são as suas prioridades, as suas funções ou mesmo em como definir a estratégia de abordagem aos clientes.

Quando trabalhamos com equipas, frases como “nunca ouvem nada”, “tenho de repetir as coisas 1000 vezes”, “ estou sempre a dizer o mesmo”, “está tudo distraído” – e paramos por aqui para não continuar o rol – são muito comuns. E se já o eram no passado, agora em ambientes um pouco mais desafiantes ainda aumentam de frequência.

Notamos que, por desfocalização, as pessoas estão de facto mais impermeáveis à escuta. E enquanto entre pessoas da mesma equipa, entre líderes e liderados, o problema da comunicação vai sendo colmatado com e-mails, com mensagens, lembretes e ralhetes, com os clientes já não é tão simples.

Esse é o principal problema!

Se não escutar os colegas é mau, não ouvir com atenção e com todos os “sentidos” o cliente é (...Ler Mais...)

27/03/2012 | Jose Almeida | Tempo de leitura: 5 min. e 59 seg.

Normalmente consideramos que existem três objectivos na arte de bem conversar:

O primeiro é pura e simplesmente, pelo prazer de se exprimir e interagir com outras pessoas.

O segundo objectivo está ligado com o conhecer melhor a pessoa que temos à nossa frente. Nas vendas e em qualquer negócio, é necessário uma exposição mais prolongada à outra pessoa de forma a conseguirmos entender, como é que a outra pessoa pensa, sente ou reage.

O terceiro objectivo na arte de conversar é o de construir credibilidade entre as duas partes envolvidas no processo da venda.

Esta é talvez, uma das coisas mais importantes que temos de aprender para nos tornarmos melhores vendedores.

Se no âmbito das relações pessoais, isto é importante, no âmbito da venda é crítico para uma relação comercial que sirva os interesses das duas partes.

Se pensarmos bem, será que alguém compra a uma pessoa em que não confie?

Muitas pessoas, pensam que a arte de conversar se resume a falar de uma forma interessante e apaixonada, de forma a sermos notados pelo nosso humor, a nossa habilidade (...Ler Mais...)

27/03/2012 | Jose Almeida | Tempo de leitura: 3 min. e 2 seg.

Existe um provérbio antigo nas vendas que diz:

“Se conseguires fazer rir o teu cliente, vais conseguir vender-lhe quase tudo!”.

Embora antigo, continua actual. O humor e a boa disposição são dois ingredientes fundamentais na construção dos relacionamentos com os clientes.

Qual é o desafio com o humor?
– As pessoas não sabem como usá-lo!
– As pessoas não sabem quando usá-lo!
– As maiorias dos vendedores tem medo de usar o humor. Porquê? Porque pensam que pode dar uma aparência pouco profissional ao seu trabalho.

Mas como na Ideias e Desafios, gostamos de novas abordagens às vendas, deixem-me apresentar-vos as nossas 4 razões, para usarem o Humor nos Vossos processos comerciais:

1. O Humor, a última fronteira.

É fácil aprender acerca do Vosso produto, é fácil aprender acerca do Vosso cliente, é fácil aprender a ciência das vendas (não acredita, venha a um dos nossos workshops), mas é muito difícil aprender a ciência do Humor e mais difícil ainda, aprender a introduzir o humor na Vossa apresentação de comercial.

A beleza do Humor é que relaxa as pessoas e (...Ler Mais...)

22/03/2012 | Jose Almeida | Tempo de leitura: 0 min. e 8 seg.

Lançamento do livro “Compre Já” de José de Almeida, ocorrido na Fnac Colombo em Lisboa no dia 17 de Março.
A todos os que lá estiveram e os que estiveram em espírito o nosso muito obrigado!

(...Ler Mais...)

Anterior

Calendário

Mais Eventos

Language

EnglishFrenchGermanItalianPortugueseSpanish

Online