! Todos os Recursos

13/04/2015Jose Almeida

Tempo de leitura: 1 min. e 9 seg.

Quando falamos deste tema a questão da solidão na liderança vem normalmente ao de cima.

Uma liderança eficaz, no nosso entender, não pode estar apenas assente nos seus líderes.

Muitas das empresas com quem trabalhamos numa fase inicial sofrem deste problema.

Existe um divórcio das diferentes pessoas que as compõem, face aos objectivos da empresa e muitas vezes face à sua liderança.

Mas será que tem de ser sempre assim?

No nosso entender, não. Quando isto acontece, segundo a nossa experiência, as empresas acabam por durar pouco tempo.

Quando as coisas até estão a correr bem, até que vão andando. Mas quando as coisas começam a correr mal, como é o caso ultimamente…

Já lá diz o ditado:
“Em casa que não há pão, todos ralham…”

Em tempos de crise existe a necessidade de refocar a organização em aspectos básicos e que muitas vezes são essenciais.

1. Comunicação

Não deixe por mãos alheias a comunicação à sua equipa ou empresa. Muitas vezes delegamos a comunicação de questões importantes nas diferentes estruturas que lideramos.

Já sabemos que “quem conta acrescenta um ponto” e quando menos esperamos a mensagem degrada-se e não chega a todos ao mesmo tempo.

Procure reunir todos ao (...Ler Mais...)

13/04/2015Maria Vieira

Tempo de leitura: 1 min. e 34 seg.

Em equipa é mais giro! Pois é, sim senhor!

Então porque é que não se aproveita a altura do ano e avançamos para as tais reuniões de kick off? Está neste momento na moda, o nome e a dinâmica, mas não é mais de que uma excelente maneira de dar as boas vindas oficiais a mais um período de trabalho, após o que foi, para a grande maioria, um tempo de descanso bem merecido.

Mas depois não caia na asneira de ir cada um para o seu lado!

Em equipa é sempre muito mais divertido trabalhar. Podemos não só motivar-nos uns aos outros, como aproveitar o que de melhor existe em cada um para conseguir atingir metas ainda mais audazes. Quando existe verdadeiro espírito de equipa, temos presenciado resultados verdadeiramente incríveis.
Mas e se eu não tiver equipa? Mas e se eu tiver uma mini equipa?

Trabalhamos há mais de 4 anos com empresas de todas as dimensões e com todas aprendemos mais um pouco para que possamos aportar cada vez mais valor às que vão surgindo.

O panorama nacional das PME e das Microempresas é mais ou menos o mesmo que na restante Europa. As pessoas lançam-se em projectos (...Ler Mais...)

13/04/2015Anabela Conde

Tempo de leitura: 1 min. e 32 seg.

Quando falamos de liderança no feminino, preconceito, obstáculos, tradição, são alguns dos factores que ainda continuam a ser enumerados como impeditivos para que a mulher ascenda ao topo com a mesma probabilidade e celeridade que o homem.

Mas se nos cruzarmos com algumas das melhores líderes empresariais deste país, constatamos que estes factores não fazem parte do seu vocabulário (e muito menos da sua mente…), porque foram suplantados por desafios e motivações maiores! Para ascender é, e será sempre, necessário vencer barreiras, talvez as barreiras d’ Elas sejam um bocadinho diferentes, mas nada se consegue sem determinação, entrega, ambição, sem pensar que é possível superar-se, a cada dia.

Não há competências só femininas ou só masculinas e se no passado era raro ter “um chefe” no feminino, actualmente não é tanto assim…

Será que muda alguma coisa?

A inteligência emocional da mulher torna-a mais persistente, mais disposta a trabalhar em equipa, a delegar sem se sentir a perder poder, e isso impacta positivamente na sua capacidade de motivar, de se relacionar e de estimular o pensamento criativo nos outros.

Trata-se de uma característica cada vez mais valorizada pelas empresas com práticas inovadoras em termos de gestão de RH, já que (...Ler Mais...)

08/04/2015Jose Almeida

Tempo de leitura: 2 min. e 16 seg.

Um dos maiores problemas que denoto nas equipas de comerciais que formamos prende-se com o título do artigo de hoje. Será que os comerciais conseguem entender os clientes nos dias que correm?

É notório o desentendimento da realidade do cliente.

Este desentendimento passa por muitas vertentes.

Começa com o posicionamento do nosso produto ou serviço, passa depois pela parte do processo da venda, em que o entendimento do negócio do cliente e das suas necessidades nem sempre é o mais correcto, e termina normalmente no processo de fecho da venda, em que o comercial muitas vezes não entende a condicionante do processo fecho ou as questões mais prementes para o cliente e que têm de ser resolvidas antes de ir avante.

Ufff…

Tanto desentendimento?

Será desentendimento ou será, na maior parte dos casos, falta de investimento por parte do comercial no processo da venda?

No nosso entender passa mais por aqui.

O que notamos no dia-a-dia comercial das empresas é que muitas das pessoas que estão ligadas ao processo da venda não investem tempo suficiente na preparação e condução do processo comercial.

Por vezes nem é totalmente culpa deles, muitas vezes a quantidade de coisas que lhes pedem é tanta (...Ler Mais...)

08/04/2015Maria Vieira

Tempo de leitura: 1 min. e 40 seg.

Para tudo considero a importância da crítica, e, sinceramente, as críticas construtivas serão das melhores a receber. As destrutivas, mordazes e invejosas são sempre muito difíceis de aceitar e conseguem muitas vezes arruinar o nosso dia.

Mas já reparou que só a palavra crítica é suficiente para pôr os cabelos em pé?

No universo das empresas essa palavra assume muitas vezes dimensões quase estratosféricas, sendo algo muito pouco bem-vindo, temido e encarado de forma muito negativa.

Mas sabemos todos e conseguimos reconhecer que é quando nos apontam as críticas que crescemos, que invariavelmente somos forçados a olhar para dentro e a ver de forma menos apaixonada se estarão certos ou não. Mas para que nas empresas exista esta capacidade de criticar, tem também de existir algo muito mais importante que é a Confiança entre as pessoas.

Já uma vez falámos dos maiores desafios que uma equipa, ou empresa, costumam atravessar e o primeiro de todos é a confiança, ou a falta dela.

Existe confiança na sua empresa?

As pessoas respondem-nos sempre que sim, que no fundo confiam nos funcionários que têm e na sua entrega, nas suas capacidades, etc. Confundem confiança com camaradagem e espírito de equipa. Não é bem (...Ler Mais...)

08/04/2015Anabela Conde

Tempo de leitura: 1 min. e 54 seg.

“Não tenho tempo, dinheiro, pessoas (a massa crítica…), estratégia, competências, experiência, …” – e então?

Entre o fado do coitadinho do não tenho e o empenhar-me em fazer com o que tenho, vai um desafio crescente de gestão de recursos… Será que não é imperativo ver nas restrições as oportunidades e andar para a frente?!

Numa fase em que as escolhas são de menor amplitude e em que parar é perder, é mesmo preciso valorizarmos o que temos e com isso fazermos o nosso melhor.

“Estrategizar” menos é bom…

Tempos houve em que tínhamos estratégias para tudo, modelos de actuação para cenários optimista, realista e pessimista, estratégias para mitigação de risco, planos para gestão da mudança, dossiers e dossiers estratégicos A4 de lombada larga.

Para além de mais recursos, leia-se mais gente e mais tempo, tudo tinha um prazo de validade superior. Havia curvas de lançamento das soluções e tempo para entrada em velocidade cruzeiro… Até parece que acelerámos a própria nomenclatura das coisas.

A palavra Dinamizar surge nas empresas com um sentido de urgência muito grande, para que as coisas aconteçam rapidamente. A velocidade que hoje nos é exigida muda tudo.

Mas cuidado! Investir menos tempo em pensar e (...Ler Mais...)

31/03/2015Jose Almeida

Tempo de leitura: 2 min. e 29 seg.

Hoje decidi falar um pouco sobre liderança, talvez porque estive ontem num dos nossos clientes com a administração e principais quadros decisores a trabalhar precisamente este tema.

Este nosso cliente (como muitos outras empresas) está neste momento a atravessar talvez a maior mudança da sua vida empresarial. Há cerca de 3 meses passaram de entidade por uma diminuição nas suas vendas de cerca de 30%.

Como devem imaginar, as mudanças que vão ter de ser realizadas vão abanar o barco de uma forma muito forte.

Fomos contratados para falar sobre Liderança em tempos de mudança e como apoiar e motivar as estruturas a caminharem todas no mesmo sentido.

Devo confessar que tudo isto me fez pensar.

Pensar na situação da maioria das empresas em Portugal e no mundo e nas principais barreiras que actualmente enfrentam face às mudanças que têm de realizar para conseguir sobreviver ao novo paradigma económico actual.

Muitas das nossas empresas encontram-se estagnadas em termos de liderança.

Não que seja culpa das pessoas, mas os anos de crescimento económico e um mercado mais ou menos estável, fizeram com que as estruturas se cristalizassem na forma de pensar, actuar e muitas vezes liderar as suas equipas.

A actual (...Ler Mais...)

31/03/2015Maria Vieira

Tempo de leitura: 1 min. e 35 seg.

Não ouve isto muitas vezes na equipa?

Quando falamos de Feedback parece que estamos a falar de uma invenção estranha. Há até quem diga que certas invenções não deveriam sair da gaveta e muitas vezes criticamos duramente as pessoas que têm ideias e invenções diferentes!

Durante muito tempo as pessoas questionavam-se sobre o que era Coaching Comercial, sobre que raio de invenção seria essa que a Ideias&Desafios tinha feito. E qual foi a nossa abordagem? Experimente por 1 hora no seu local de trabalho, na sua empresa, o tipo de trabalho de consultoria “mão na massa” que fazemos com as equipas comerciais. É a melhor maneira de dara entender a nossa metodologia de trabalho.

E na sua empresa? Na sua equipa? Qual é a diferença? Com que frequência boicotamos as ideias das nossas equipas só porque são invenções demasiadamente diferentes para o nosso gosto? Ou porque são chocantes?

Como criar uma cultura de empresa em que as invenções são bem-vindas e, acima de tudo, são trabalhadas pela empresa?

Dar feedback

Os responsáveis de equipa e os líderes de hoje estão muito preocupados/ocupados com esta palavra, feedback!
Cada vez é mais importante abordar de forma sincera os comentários dos nossos colaboradores. (...Ler Mais...)

31/03/2015Anabela Conde

Tempo de leitura: 2 min. e 24 seg.

Quando falamos de competitividade a conversa nem sempre é fácil nas empresas!

Têm sido algumas as circunstâncias em que nos deparamos com líderes e gestores desapontados com os resultados, decepcionados com o facto de a facturação não ter crescido, ou mesmo de não ter chegado a igualar a do ano anterior. E o curioso é que essas pessoas reconhecem ter trabalhado ainda mais e os resultados não apareceram…

Mas de que resultados andamos nós à procura? Apenas nos focamos em fazer crescer o volume de negócios? Ou queremos mais clientes, projectos com maior volume/duração, reduzir PMR e alargar PMP, libertar mais tesouraria, fazer crescer a rentabilidade?

Será legítimo querer tudo isto em simultâneo nesta fase? Que prioridades definimos e que estratégias adoptamos para lá chegar? Se calhar, não podemos colocar tudo na Bimby ao mesmo tempo…

Trabalhar melhor

Também não podemos esperar resultados diferentes se fizermos sempre (e só) as mesmas coisas, da mesma maneira… Parece que isto ninguém põe em causa, certo?

Falar em estratégias para aumentar clientes e facturação pode passar por:

chegar a um universo maior de potenciais clientes, com iniciativas de marketing viral (newsletters, redes sociais como Facebook, Linkedin ou outras), estratégias de referenciação, presença em (...Ler Mais...)

Anterior

Palestra Online

5 Pilares da Comunicação e Influência nas Vendas
Palestra Online Gratuita

Calendário

Mais Eventos

Siga-nos


Online