Vendas e Negociação

27/07/2015Jose Almeida

Tempo de leitura: 2 min. e 14 seg.

Uma das coisas que frequentemente penso, como comercial que sou, prende-se precisamente com esta questão.

Será que devo vender ou será que devo ter lucro?

Nos dias que correm esta questão deveria estar na cabeça de todos os vendedores.

As estratégias de baixo custo, na melhor das hipóteses, conseguem-nos nova cota de mercado, mas na pior das hipóteses estragam o mercado de tal maneira que mais cedo ou mais tarde nós próprios vamos sofrer com essa situação.

Nos dias que correm, o mercado está cheio de empresas desesperadas que fazem qualquer coisa para sobreviver até ao final da crise.

De entre as loucuras que fazem, a do preço é a mais frequente, a do alargamento das condições de pagamento é (...Ler Mais...)

20/07/2015Jose Almeida

Tempo de leitura: 1 min. e 41 seg.

Os seus vendedores têm um plano de desenvolvimento comercial?

Não?

Então como é que quer que eles evoluam?

Nos dias que correm não é suficiente esperar que os profissionais da área comercial per si estabeleçam metas e objectivos de desenvolvimento e aprendizagem.

Conheço poucos comerciais que o fazem e, verdade seja dita, são normalmente as estrelas da companhia.

Se por norma em 90% das empresas com quem tenho trabalhado os comerciais não tomam essa iniciativa, as chefias e direcções comerciais deveriam fazê-lo por eles.

Nas empresas com quem trabalhamos temos tido o cuidado de endereçar esta questão, normalmente ao abrigo dos planos de avaliação da carreira comercial.

Não basta avaliar um comercial, dizer-lhe o que fez de bem e o (...Ler Mais...)

16/07/2015Anabela Conde

Tempo de leitura: 1 min. e 45 seg.

No atendimento, podemos dar um “Não” a um Cliente?

E perante uma reclamação, será que o Cliente tem sempre razão? Esta é uma questão antiga e controversa…

É verdade que o Cliente é a razão da existência de qualquer empresa… não é menos verdade que há muitos Clientes que reclamam sem qualquer razão.

E em que ficamos? Será que continuamos a não poder dizer que não ao cliente?

Ou será que há vários tipos de não e que, dependendo da forma como são ditos, podem ter impactos completamente distintos?

Será uma questão de bom senso? Ou será que devemos colocar-nos no lugar do cliente e fazer por dizer o que ele gostaria de ouvir?

Bem vistas as coisas, o que (...Ler Mais...)

06/07/2015Jose Almeida

Tempo de leitura: 1 min. e 33 seg.

Uma das situações sobre a qual mais vezes me questionam os Directores Gerais ou Gerentes das empresas com as quais reúno e com os quais habitualmente trabalho, tem a ver precisamente com a temática da Direcção ou Chefia Comercial e do facto de as suas vendas muitas vezes navegarem à vista.

Muitos deles abordam-nos para analisar e emitir um parecer sobre diversas áreas das suas empresas, entre elas a área comercial.

Imagine qual a questão mais frequente que me colocam.

“O problema está na equipa comercial, ou na sua chefia ou direcção?

Querem saber qual é a nossa resposta mais frequente?

Digamos que é ela por ela, umas vezes o problema centra-se na equipa, outras vezes centra-se na chefia ou (...Ler Mais...)

06/07/2015Anabela Conde

Tempo de leitura: 1 min. e 40 seg.

O maior talento em vender soluções é a capacidade de perceber o processo de compra na perspectiva dos clientes, e não o processo de venda.

E a empatia é a chave para que isso aconteça, ao desenvolvermos a habilidade de ver as coisas pela perspectiva do cliente.

Sabe o que os Clientes procuram?

Hoje mais do que nunca, o Cliente não procura meramente um Fornecedor. A um Fornecedor compra-se uma vez. São verdadeiros Parceiros que as empresas procuram para singrar neste meio competitivo. Um Parceiro é mais do que um Conselheiro, é uma entidade a quem seguimos o percurso para a vida…

Todos sabemos que não foram muitas as coisas que se alteraram nas vendas nos últimos tempos, mas é (...Ler Mais...)

22/06/2015Jose Almeida

Tempo de leitura: 1 min. e 39 seg.

Falamos hoje de objecções de venda. Seja na venda, seja numa negociação que não esteja propriamente ligada a vendas, existe sempre uma fase complicada que pode concretizar ou matar por completo o acto de negociar.

Trata-se precisamente da forma como lida com as objecções que surgem no processo negocial.

Mas pergunta, e muito bem, qual é forma mas indicada de lidar com objecções?

Em primeiro lugar, devemos preparar o processo negocial de vários pontos de vista.

Ou seja, devemos colocar-nos no lugar de cada uma das partes que está presente na negociação e analisar quais as objecções que poderão vir a surgir no acto da negociação.

Se tivermos em mente a nossa estratégia para negociar, sabendo o que queremos obter (...Ler Mais...)

22/06/2015Jose Almeida

Tempo de leitura: 1 min. e 28 seg.

E o que acha que consideramos a “Majestade”? Sim, acertou, o Cliente com que lidamos todos os dias. O que nos chega à empresa, o que nos compra produtos ou serviços, o que nos ajuda diariamente a melhorar e a exceder as expectativas.

O cliente deve ser a pessoa mais importante na sua empresa! Claro que toda a equipa que temos é imprescindível, única e fantástica, mas sem clientes a equipa não teria nenhuma ocupação. Por isso, temos de tratar os nossos clientes como se fossem realeza.

Somos apaixonados pelo Serviço ao Cliente, por trabalhar com empresas na criação de serviços diferenciadores e por lutar pela percepção de que o Serviço a Clientes não é um departamento, mas um mindset, (...Ler Mais...)

22/06/2015Jose Almeida

Tempo de leitura: 2 min. e 36 seg.

Com tanto estímulo e informação, tantas novas experiências proporcionadas no mercado pelas mais diversas empresas de retalho, a excelência no atendimento evolui hoje a um ritmo indescritível.

Ou a sua noção de um atendimento exemplar continua a mesma de há seis meses?! Estou certa de que não… Não há como perder este comboio e o desafio é estar na frente!

Mas comecemos pelo princípio!

Sabemos que se abordarmos o cliente e conduzirmos o nosso atendimento como sempre o fizemos, o nosso serviço não evolui e, consequentemente, não se diferencia.

Só que antes de ousar falar em melhorar, mudar ou até mesmo de excelência, há que garantir que o básico está a acontecer.

“Back to basics”

Por vezes, menos já é (...Ler Mais...)

16/06/2015Jose Almeida

Tempo de leitura: 2 min. e 5 seg.

Ainda esta semana, quando estávamos a meio de uma sessão da Coaching Comercial, me fizeram a seguinte pergunta:

“Vendedor ou um especialista qual é que os clientes preferem?”

Uma das coisas que sempre ouvir dizer foi:

“Salve-se quem puder.”

Era uma expressão comum nos tempos em que eu era mais novo, hoje se calhar já nem tanto.

Nos dias que correm, e no domínio da actividade comercial, deveremos talvez mudar para:

“Salve-se quem souber.”

Porquê?

Pense na última vez que foi comprar algo de valor para si ou para a sua família.

Um televisor novo, um computador, um electrodoméstico mais caro, algo que o leve a querer fazer um bom negócio e não ser enganado face à quantidade de escolhas (...Ler Mais...)

Anterior

Palestra Online

Paixão no Serviço ao Cliente
Palestra Online Gratuita

Calendário

Mais Eventos

Siga-nos


Online