Liderança e Coaching

23/03/2015Anabela Conde

Tempo de leitura: 2 min. e 16 seg.

Espero que sim! Pelo menos por si…

E espero que se questione todos os dias sobre o trabalho que tem vindo a fazer, em que medida é que apoia a equipa, que valor aporta ao seu grupo de trabalho, como os ajuda a superar-se, que resultados estão a atingir com as ferramentas e procedimentos que estão a utilizar, etc.

Se se interrogar e reflectir a cada dia como está a correr, seguramente está determinado em fazer melhor…

“A liderança exerce-se lá na frente” é uma citação de Peter Young e, sempre que a leio, não deixo de esboçar um sorriso… ser líder não dá a ninguém o direito de baixar os braços, de ser morno, de se recatar quando não tem o rumo certo, de “relaxar” do ávido dia-a-dia, de adiar.

É que quando falamos de Liderança, o trabalho nunca está pronto, nunca se é suficientemente bom. Quem chama a si este papel tem o dever de prosseguir o seu desenvolvimento pessoal como líder, motivador e comunicador.

Cada dia pode ser mais desafiante que o anterior nesta exigente tarefa recheada de acções como definir, planear, informar, motivar, organizar, dar o exemplo, inspirar, controlar, avaliar, decidir, criar, organizar, comunicar, questionar, responsabilizar, (...Ler Mais...)

10/03/2015Jose Almeida

Tempo de leitura: 1 min. e 54 seg.

Falemos hoje de talento!

Numa televisão perto de si poderá encontrar hoje em dia uns quantos programas de talentos! Desde a dança à representação, canto, ilusionismo, humor ou malabarismo, são muitos os talentos com que milhares de portugueses nos brindam em diferentes momentos. E isto referindo apenas os canais nacionais, pois se estendermos ao universo internacional, passamos a dezenas de programas onde todos querem de facto mostrar aquele dom único para o qual nasceram.

Muitos dos talentos que vemos são verdadeiros dons, participantes que de forma inata têm um dom que ao longo dos anos potenciam, cuidam e amadurecem, tornando-se ainda mais talentosos.

Tendo em conta a envolvência, pus-me a pensar sobre o que aconteceria se tivéssemos nas empresas os mesmos concursos de talentos! Será que todos se iriam inscrever? E que talentos iriam mostrar? E como estamos a potenciar os talentos que existem em cada equipa?

A questão da gestão de talentos no contexto empresarial não vem de agora. Esta busca pelos talentos nas equipas e a preocupação em mantê-los dentro da organização é um assunto antigo. Mas preocupo-me muitas vezes com os que até têm talentos, mas que por uma razão ou outra não conseguem fazê-los brilhar.

O (...Ler Mais...)

02/03/2015Jose Almeida

Tempo de leitura: 1 min. e 29 seg.

Muitas das vezes, no âmbito da liderança comercial e até na vida, as situações com que nos deparamos não têm solução aparente.

Existe um conceito de urgência nos dias que correm que nem sempre traz resultados.

Uma equipa comercial não se forma do dia para a noite.

Um líder, na maior parte dos casos, não se revela como líder eficaz nas primeiras posições que ocupa.

A melhor forma de resolver uma situação nem sempre é agir logo.

Eu chamo a isto o fenómeno do “sinal laranja”.

Se for condutor e for no seu carro, quando chega a um semáforo e apanha um sinal laranja, o que é que normalmente faz?

Provavelmente dirá:

“Abrando.”

Mas, se for verdadeiro, dirá que se vir um sinal vermelho não faz nada disso.

Muitas vezes faz precisamente o inverso e acelera para ainda conseguir passar, ainda que já com o sinal vermelho a cair.

Na vida e nas empresas muitas vezes adoptamos esta atitude.

À nossa volta existem milhares de sinais laranjas.

O problema é que em vez de abrandar para os analisar, temos tendência para acelerar.

E normalmente qual é o resultado?

Claro, dá asneira.

Quer um exemplo disso?

Nas empresas, quantas vezes é (...Ler Mais...)

02/03/2015Anabela Conde

Tempo de leitura: 1 min. e 38 seg.

Sentimo-nos  uma panela de pressa quando:

É o que acontece quando nos deixamos mergulhar no detalhe, sem ver o todo…

É o que acontece quando caímos na armadilha de fazer o que sempre dissemos aos outros que não deve ser feito…

É o que acontece quando resolvemos os problemas dos outros e não encontramos as nossas soluções…

É o que acontece quando nos entregamos aos queixumes e às banalidades…

É o que acontece quando estamos atrasados a resolver o ontem e não pensamos o amanhã…

É o que acontece quando cortamos a direito, congelando oportunidades…

É o que acontece quando caminhamos na direcção inversa dos nossos sonhos, das nossas metas…

Provavelmente, por mais que respire fundo, parece que o ar não consegue sair, que nada alivia, que as coisas não se tornam mais claras.

Tem vontade de desistir e “lançar tudo às urtigas”.

Impossível… e sabe disso!

Acredite que acontece a todos a dada altura, e feito o balanço não tem que ser mau acontecer… o ponto de viragem pode trazer maravilhas!

Dê cabo do stress antes que o stress dê cabo de si!

Reconheça os seus sinais de stress, o que o angustia, o que o afronta, o que (...Ler Mais...)

24/02/2015Maria Vieira

Tempo de leitura: 1 min. e 39 seg.

Estive recentemente a realizar um processo de recrutamento de um comercial. Precisávamos de alguém com garra, com dinamismo e com motivação para um projecto trabalhoso, mas extremamente interessante. E nestas alturas penso nas equipas de sonho de alguns clientes e noutras que conhecemos e na dinâmica das mesmas.

Como se constrói uma equipa de sonho? A chamada Dream Team que muitas empresas se orgulham de possuir não é impossível de conseguir, mas é de facto trabalhoso e moroso… não só chamarmos os melhores talentos, mas também retê-los.

Recrutar e seleccionar profissionais de excelência é um enorme desafio. Qualquer erro de casting pode ter repercussões graves e por vezes ocorrem estes erros, mesmo parecendo que tínhamos o recurso certo.

Não existem tácticas mágicas, e por muitos testes e questionários que se façam, a verdade é que os candidatos podem sempre “vender” de tal forma o seu currículo, que só mais tarde percebemos o engano.

De forma a minimizar os riscos, propomos um conjunto de intervenções.

Quem temos?

Em primeiro lugar, precisamos de identificar os perfis que existem na empresa e as competências que cada um tem em termos de soft skills e de competências técnicas.

Há que perceber quais os pontos (...Ler Mais...)

24/02/2015Anabela Conde

Tempo de leitura: 2 min. e 9 seg.

Os desentendimentos são naturais em qualquer grupo de pessoas, mas sempre que numa Equipa assumem proporções maiores, levam a desperdiçar tempo e energia e condicionam a produtividade.

Na verdade, há situações em que os conflitos entre elementos da equipa nos deixam à beira de um ataque de nervos…

Bons Amigos ou bons Colegas?

Mas será que só há conflitos na nossa equipa? Desengane-se…

Então porque é que quando olhamos para as nossas empresas de referência nos parecem todos muito amigos?

Provavelmente porque aprenderam a discordar de forma agradável e profissional, a questionar mais as suas opiniões e a considerar as dos outros, porque cresceram em confiança para poder falar abertamente sobre as situações… e esse é um caminho necessário a todas as equipas e que se faz… caminhando!

Os conflitos são também necessários para nos “desacomodarmos” e considerarmos outras perspectivas, mas temos que os saber gerir. Já dizia Gandhi que “a discordância honesta é sinal de progresso”, e nas Organizações não é diferente.

Agora, não é necessário (nem suposto) sermos amigos para ultrapassar conflitos. Isso não nos torna garantidamente melhores colegas, nem melhores profissionais. Há excelentes profissionais a quem ser amigo dos colegas não diz absolutamente nada.

Ainda assim, juntar (...Ler Mais...)

27/01/2015Maria Vieira

Tempo de leitura: 1 min. e 41 seg.

É quase impossível uma ou outra vez ao longo da sua vida não ter pronunciado algo como “eu é que sei”, “assim é que funciona”, “só resulta se for assim”, “eu já faço isto há muitos anos”, “nunca ninguém conseguiu melhor”, enfim, podemos pensar aqui noutras formas de dizer o mesmo, mas a ideia é sempre a mesma…

E esta certeza vem, na sua maioria, de experiência e de saber, e poucas vezes de soberba ou de prepotência, o que também acontece.

As experiências por que passamos ao longo da nossa vida profissional levam-nos a ter uma certeza sobre como certas coisas se irão passar e sobre o que pode acontecer. E como são anos acumulados de vitórias e derrotas, acabamos por ficar com um portfolio bastante rico.

O que por um lado é positivo!

Mas… e se existir outra forma? E se for possível fazer de maneira ligeiramente diferente e conseguir os mesmos ou até melhores resultados? O problema é que somos, na maior parte das vezes; cépticos em relação a coisas novas. Mais do que susceptíveis às mudanças, às quais temos sempre alguma aversão, trata-se do receio de abandonar os métodos aos quais estamos acostumados e começar novos (...Ler Mais...)

27/01/2015Anabela Conde

Tempo de leitura: 2 min. e 19 seg.

E de repente deu-se conta de que ficou a pensar nas embalagens gourmet que trazem meia dúzia de coisas, nos pratos deliciosos dos grandes chefs em que o apontamento de comida nos deixa água na boca para muito mais, ou até mesmo na última sobremesa deliciosa que pediu e que lhe serviram num daqueles shots minúsculos…

Mesmo se mudarmos o rumo do pensamento, o resultado não é diferente. As férias são fantásticas, mas são sempre curtas, os fins-de-semana nem se fala, já que voam num ápice!

E na empresa, será que há pequenos passos a dar que nos permitiriam saborear resultados de gigante?

A Criatividade…

As empresas evoluem fruto das ideias que tiverem capacidade de gerar em torno dos produtos, serviços e soluções que vierem a disponibilizar no mercado.

O facto é que nem sempre as ideias surgem a pedido, quando se envia um e-mail aos colaboradores para angariar novas abordagens ou se disponibiliza uma caixa na copa para que os colaboradores depositem as suas sugestões “out of the box”.

Também os momentos de brainstorming que proporcionamos, e falo mesmo dos autênticos, em que as ideias são trazidas sem filtros nem “censura”, nem sempre proporcionam uma base de trabalho para (...Ler Mais...)

20/01/2015Jose Almeida

Tempo de leitura: 1 min. e 23 seg.

Quando tenta motivar a sua equipa, será que esta ainda o ouve?

Já sentiu que nos últimos tempos a sua mensagem já não chega à sua equipa?

Queríamos aqui chamar-lhe a atenção para um problema que ocorre nas empresas e que tem a ver com a saturação da comunicação.

Ou seja, se pensar, lá em casa, a sua mulher ou o seu marido, conforme o caso, tem alguma dificuldade em o ouvir.

Ainda há pouco tempo passei por essa experiência na minha família.

Temos vindo a discutir uma mudança numa área pessoal para a minha mulher.

Tenho tentado aconselhá-la o melhor que posso, mas noto que por vezes entra por uma orelha e sai pela outra.

Conhecem esse fenómeno?

Pois…

No outro dia foi lá a casa um amigo meu, que também está na área de formação de vendas e desenvolvimento pessoal e com o qual por vezes trabalhamos em parceria.

Como de costume tivemos uma amena cavaqueira à qual se juntou a minha mulher já mais para o final.

Como não podia deixar de ser, o tema resvalou para a sua mudança pessoal.

E basicamente ele aconselhou-a a fazer algo de que eu já a andava a tentar convencer (...Ler Mais...)

Anterior

Palestra Online

5 Pilares da Comunicação e Influência nas Vendas
Palestra Online Gratuita

Calendário

Mais Eventos

Siga-nos


Online